VOCÊ TEM GARRA PARA OBTER SUCESSO?

Você está preparado para a dura escalada em direção ao sucesso?

Vimos em nossa conversa anterior (Além de talento e sorte, o que mais é preciso para sucesso?) que o caminho do sucesso é longo e exige um esforço grande e continuado. Ou seja, exige que você tenha garra e esteja disposto a ter perseverança em seus objetivos. Você está preparado para essas "grandes batalhas"? Continue comigo.

 

A psicologia do sucesso investiga porque algumas pessoas conseguem obter sucesso em suas áreas de atuação e outras não. A pergunta é: o que torna essas pessoas especiais? O processo de pesquisa, logicamente, se baseia em entrevistas com pessoas das mais diversas áreas de atuação e diferentes graus de sucesso.

As respostas, como se é de esperar, mostram características muito específicas de cada profissão. Assim, os empreendedores mencionam sempre a disposição trabalhar muito e correr riscos. Essas características não são citadas por artistas, que mencionam o impulso criativo. Atletas mencionam com frequência que são estimulados pela emoção da vitória e, além disso, que odeiam perder.

No entanto, em todas as entrevistas aparecem dois fatores importantes para o sucesso: talento e sorte. Com relação à sorte, não há muito o que se comentar. É a questão de estar “no lugar certo, na hora certa”, de “estar no lugar errado, na hora errada”, ganhar na loteria e por ai vai.

Mas, e o talento? É claro que uns têm mais e outros têm menos. E, com certeza, os talentos são diferentes e ninguém é absolutamente desprovido de talento. Por outro lado, as pesquisas mostraram que muitas pessoas com talento não concretizaram seu potencial, o que significa que não basta apenas ter talento. Por exemplo, uma pessoa com talento especial para o raciocínio matemático terá sempre notas boas em matemática, independentemente de qualquer outro fator.? Evidentemente que a resposta é não. Então, o que falta?

A psicologia do sucesso mostra que além do talento, o indivíduo tem que ter persistência em seus planos e esforços. Isso quer dizer que ele não pode desistir depois de alguns fracassos ou porque a realização está difícil. Muitas pessoas são dedicadas quando as coisas vão bem, mas desistem diante de situações adversas.

Fica claro nas pesquisas que as pessoas bem-sucedidas exibem um tipo de perseverança acima da média, que se manifesta de duas formas. Primeiro, porque são realmente mais dedicadas e esforçadas que as demais. Em segundo lugar, porque sabem claramente o que querem para si mesmas e perseguem estes objetivos com paixão. Essas duas características da personalidade de pessoas que chamamos de garra.

Não há atalhos para a perfeição. Especializar-se de fato em alguma área, solucionar problemas complexos, tudo isso demanda tempo. Mais do que a maioria das pessoas imagina. E depois você precisa aplicar essas habilidades e produzir bens ou serviços importantes para as pessoas. Ou seja, para ter sucesso, você tem que desenvolver alguma habilidade, o que exige esforço, e aplicar essa habilidade de forma consistente.

Garra é fazer o que você ama, mas não é só se apaixonar por isso ou aquilo. Mas continuar apaixonado por um bom tempo para desenvolver a habilidade.

Você tem garra? Como podemos medir a “intensidade de nossa garra”?

O livro, cuja capa é mostrada no final dessa nossa conversa, apresenta uma “escala de garra” que foi preparada pela autora para aplicar em diversas situações e testes que exigem esforço concentrado e perseverança. Essa escala foi desenvolvida para testar os candidatos a cadetes na academia militar americana de West Point com o objetivo de estimar preliminarmente aqueles que aguentariam o “rojão” até o final. Conforme descreve no livro, ela passou a aplicar os testes em diversas situações. Vale a pena reproduzir a escala aqui para você fazer seu teste. Leia com atenção e responda com sinceridade.

Para calcular seu escore de garra, some todas as notas e divida por 10. Evidentemente que a nota mais alta é 5 e a mais baixa é 1.

Para você ter uma ideia da posição que ocupa, ou seja, o tamanho de sua garra, vou reproduzir abaixo os resultados de uma pesquisa feita nos EUA, também apresentada no livro.

A figura abaixo mostra os índices de garra obtidos pela totalidade das pessoas até o percentual indicado. Observe na tabela ao lado os valores que formaram o gráfico. Podemos ver que 10% das pessoas obtiveram índices até 2,5. Vemos também que 90% das pessoas conseguiram índices até 4,5. Ou seja, somente 10% das pessoas apresentaram índices de garra superiores a 4,5.

 

Esse resultado era de se esperar. Poucas pessoas possuem muita garra e são estas que, aliadas a um talento, conseguem sucesso em suas atividades.

Como falamos antes, a qualidade de uma pessoa que chamamos de garra pode ser compreendida por meio de duas outras qualidades: paixão pelo que faz e perseverança para continuar no rumo em direção a seus objetivos.

A palavra paixão aqui não significa o mesmo que no amor, mas se refere a um grau de dedicação ao objetivo porque acredita nele e quer receber seus frutos. E a perseverança, é claro, significa que os esforços serão consistentes ao longo do tempo.

Se analisarmos a fundo os quesitos da escala de garra veremos que encontramos questões relativas às duas componentes que formam a garra. Se somarmos as notas dos itens ímpares e dividirmos por 5, encontraremos a pontuação da paixão. Se fizermos o mesmo com as notas dos itens pares, encontraremos a pontuação da perseverança.

Observe também que não é avaliada a intensidade da paixão. Quando se fala em paixão, as pessoas pensam logo no amor e associam o termo a fervor ou obsessão. Uma analogia seria um show de fogos de artifício que encantam, deixam boas lembranças mas duram pouco.

Nas entrevistas feitas com vencedores, nas mais diversas áreas, o termo paixão foi associado mais à constância ao longo do tempo que apenas à intensidade do gosto pelo projeto ou atividade. Assim, os quesitos relativos à paixão procuram levar você a pensar mais na consistência com que se dedica às suas metas ao longo do tempo.

Poderíamos criar uma analogia com a bússola que o orienta ao longo do tempo em direção aos seus objetivos. Observe que tudo o que falamos tem como base sua filosofia de vida com objetivos pessoais bem definidos. Filosofia de vida, já pensou nisso? Já ouviu falar no “Teste do marshmallow”? Assuntos para nosso próximo encontro. Até lá.

 

Observação: Esse texto foi baseado no livro de Angela Duckworth – Garra O Poder da Paixão e da Perseverança – Editora Intrínseca – Rio de Janeiro de 2016, cuja capa reproduzo acima.

© 2016 DICAS DO PROFESSOR LEOPOLDINO - Todos os direitos reservados.

Search