QUANTO CUSTA SEU CARRO POR MÊS, VOCÊ SABE?

corvetenovo, muitas vezes, é a realização de um sonho, uma conquista, recompensa de esforços pessoais. Diferentemente de uma casa ou apartamento que dura uma vida inteira e ainda deixamos como herança para os filhos, um carro fica velho e, algum dia, precisamos trocá-lo por um mais novo.

Você já pensou no custo mensal de um carro, durante o período de tempo que você ficou com ele? Não vamos falar de gastos com combustíveis, pneus, manutenção, estacionamentos e outros gastos variáveis. Também não vamos falar de financiamentos. Vamos falar do custo fixo que você tem, simplesmente porque comprou o carro. Se quiser saber quanto um carro lhe custa por mês, continue comigo aqui. Você poderá se surpreender. No final, encontrará um link que lhe abrirá uma planilha de Excel, que lhe permitirá calcular o custo de qualquer carro, desde que possua os preços ano a ano. Isso poderá ajudá-lo na hora de decidir qual carro comprar. Ok? Continue comigo.
Você encontrará este artigo também em:

www.vivacombeleza.com.br

Que o carro é um bem caro, todo mundo sabe. A compra de um carro é um esforço financeiro pesado para a maioria das pessoas e, por isso, deve ser bem planejada. Todas as pessoas sabem que ninguém ganha dinheiro com carro, exceto, claro, a cadeia de fornecimento: fabricantes, revendedores, oficinas, etc. Como não é possível ter lucro na hora da venda, o objetivo é perder pouco dinheiro ao longo da vida do carro. Por isso, muitas pessoas se preocupam, na hora da compra de um carro, em saber o valor de revenda futuro.
Conheço várias pessoas que somente compram carros seminovos, com uns dois anos de uso. A razão é economizar a desvalorização inicial do carro zero, que é muito alta em alguns casos. No entanto, a maioria adora o “cheirinho” do carro zero e se dispõe a arcar com essa desvalorização. Seja você um comprador de carro zero ou de carro seminovo, você estará incorrendo num custo mensal elevado. Não há como escapar disso.
Não vamos discutir as razões e argumentos que cada um tem para adquirir um determinado carro e muito menos sugerir questionamentos sobre eventuais acertos ou erros na tomada da decisão. Cada um conhece sua necessidade e os benefícios que o carro vai trazer. As razões que cada um tem para escolher um modelo são individuais: conforto, segurança, status, “andar bonito na rua”, vizinho, etc. Não vamos falar sobre isso. Afinal, como diz a música do Caetano: “Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é!”
Porém, como a linha geral de nossas conversas neste ambiente do site é a criação da riqueza pessoal, vamos aprender a calcular diretinho quando custa a propriedade de um carro. Essa análise é coerente com nossa filosofia de saber calcular, na data de hoje, as consequências das decisões de amanhã. Com essa habilidade, podemos compatibilizar nossos gastos com nossa capacidade de criar receita pessoal.
Para desenvolver o raciocínio, vamos considerar a compra de um carro que é o mais vendido em sua faixa de mercado: VW Gol 1.6. Os dados que vamos utilizar foram extraídos da Tabela Fipe publicado no jornal O Estado de São Paulo, no dia 06/07/2014. No final deste artigo, você encontrará um link que lhe encaminhará para uma planilha de Ms-Excel que lhe permite calcular o custo do carro que quiser, bastando substituir os dados nas células amarelas.
Os dados do veículo são:
 • Gol Tendline 1.6 I-Motion 4p flex
 • Preço do carro zero: R$ 41.590,00
 • Preços da Tabela Fipe: R$ 39.621,00 (2013), R$ 34.314,00 (2012), R$ 32.200,00 (2011) e R$ 29.200,00 (2010 - similar).
Vamos calcular aqui os custos fixos do carro, ou seja, os custos que incorremos porque tomamos a decisão de possuir um carro. Não vamos considerar os custos variáveis, que dependem da utilização do carro, tais como, combustível, manutenção, estacionamentos, pedágios, multas, etc. Se você quer conhecer o custo total real do carro, é claro que tem que somar esses custos variáveis.
Também não vamos considerar eventuais custos de financiamentos. Estamos imaginando a compra de um carro pelo preço de tabela. Se você tem financiamento, deve acrescentar os custos do financiamento (juro, cadastro, etc.) no custo total calculado aqui.
Os custos fixos que vamos considerar são:
1. Desvalorização do carro. Todos sabem que basta retirarmos o carro zero da concessionária para ele perder valor. O cálculo de desvalorização é sempre feito por meio da Tabela Fipe. Essa tabela é construída pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas da USP por meio com base em pesquisas de mercado e é aceita por seguradoras, revendedoras, financiadores, etc.
Com os dados do carro escolhido, se tivéssemos comprado o carro zero em julho de 2010 e e resolvêssemos trocar agora por outro exatamente igual arcaríamos com uma perda de valor de:

41.590,00 - 29.200,00 = 12.390,00

2. Imposto IPVA. Calculado pelo Governo do Estado, corresponde, na maioria dos estados brasileiros, a 4% do valor do carro.

Com os dados de nosso exemplo, no primeiro ano o IPVA seria de R$ 1.663,60.

3. Seguro obrigatório e taxa de licenciamento.. Taxas fixas determinadas pelo governo. Seu valor em 2014 foi de R$ 180,83 para o Estado de Minas Gerais.

4. Seguro do carro. Como o carro é um bem caro, quase todas as pessoas fazem seguro contra roubo e acidentes. Se o carro for financiado, o seguro é obrigatório. O preço do seguro varia conforme o perfil do condutor, mas podemos considerar que ele representa 5% do valor do carro. Assim, em nosso exemplo, teríamos um custo de R$ 2.079,50.
5. Custo financeiro do dinheiro imobilizado no carro. Deixamos para o final um custo que pouquíssimas pessoas consideram. Como você pegou um dinheiro, que certamente estava aplicado, e comprou o carro, este dinheiro não está rendendo. Logicamente, você está perdendo esse rendimento e isso é um custo para você. Se está considerando a hipótese de não ter carro e chamar taxi quando precisar ou, o que está acontecendo com muitas famílias, compartilhar um carro com um parente, este custo tem que ser considerado.
No exemplo, se considerarmos um rendimento de 6% ao ano, ao retirarmos o dinheiro um uma aplicação e pagarmos o carro, estamos perdendo, no primeiro ano, o valor de:

0,06 x 41.590,00 = 2.495,40.

Porém, é preciso lembrar que a maioria das pessoas considera que este é o preço a pagar pela comodidade e conforto que o carro proporciona. Cabe a você decidir se vale a pena considerar esse custo. No entanto, é sempre bom conhecê-lo, não? Assim, podemos saber de quanta riqueza estamos abrindo mão para termos o conforto e avaliar essa decisão dentro de nosso estilo de vida.
Na figura abaixo mostramos os resultados obtidos para esses custos, ano a ano, durante um período estimado de quatro anos que a pessoa reteria o carro. Depois, passaria para a frente e compraria um novo.
custo carroSe somarmos os custos anuais, encontraremos um total de R$ 34.504,97. Dividindo pelos 48 meses de utilização, encontramos o custo mensal de R$ 718,85.
Reproduzi abaixo um pedaço da Tabela Fipe para auxiliá-lo, caso queira refazer os cálculos

estadao

Importante realçar novamente que, para calcular o custo total real, você deve somar todas as despesas variáveis (combustíveis, pneus, manutenção, estacionamentos, etc.) e o custo efetivo do financiamento, caso o carro seja financiado.

custo medio

 Se você quiser calcular o custo para outro carro, entre no link abaixo e acesse a planilha de Excel. Basta encontrar na Tabela Fipe os valores do carro em questão e substituir nas células amarelas da planilha. Da mesma forma, as demais informações consideradas. Se não quiser considerar a perda do rendimento financeiro como um custo, basta digitar 0% na célula F11 da planilha. Boa sorte em sua análise de decisão para a compra do carro.

Cálculo do custo mensal real de um carro