REVERSÃO DA RENDA VITALÍCIA PARA QUOTAS – O CASO FORLUZ

Uma maneira fácil para você estudar sua situação

Os participantes dos fundos de aposentadoria, de uma forma geral, estão recebendo notícias sobre alterações nas condições contratuais originais, o que tem gerado muita preocupação. Todos, aposentados ou não, contam com essa renda para sobrevivência.

A pergunta que está na cabeça de todos nós é, uma vez mudada a regra, se teremos dinheiro para viver, como vivemos hoje, até o último de nossos dias. Afinal, quando assinamos o contrato de adesão ao plano Forluz, e principalmente em 1997 quando abrimos mão do plano BD, a condição fundamental era renda vitalícia para o titular e sua futura pensionista.

Como sou aposentado assistido da Forluz, também compartilho dessa preocupação e resolvi estudar o assunto do ponto de vista financeiro.  O objetivo é conseguir uma visualização prévia do eventual capital convertido para analisar as possibilidades, de acordo com as condições de cada um.

Quando temos uma ideia do que poderá acontecer, não só reduzimos o nível de stress ou angústia, como também podemos planejar as ações futuras.  Para isso, criei umas planilhas de Excel que permitem a criação de cenários futuros, que dependem das hipóteses que o usuário acha mais prováveis. 

Há alguns dias, o jornal Valor Econômico publicou um artigo cujo título reproduzo abaixo e que gerou muita troca de mensagens entre os grupos de aposentados da Cemig por causa das prováveis mudanças nos planos da Forluz. As mudanças já foram anunciadas, só não sabemos quais serão e como serão propostas.

Forluz renda 01

A questão que mais preocupa, evidentemente, é a proposta de reversão da renda vitalícia em capital a ser retirado de uma só vez ou em quotas que, logicamente, podem acabar com o aposentado ou pensionista ainda vivo.Como o artigo trouxe quatro exemplos de cálculo, com base na lei e na Tábua de Mortalidade AT2000, resolvi utilizar esses dados para uma análise estatística e, com isso, criar um modelo de cálculo e análise que possa ser aplicado para cada situação pessoal.

É claro que os resultados terão um grau de aproximação, mas vocês verão que não este grau não é muito grande.  Procurei criar uma planilha de Excel de forma que fosse o mais amigável possível para o usuário.

Para ter uma ideia de sua renda futura, basta você preencher as células amarelas, e apenas estas, que os resultados aparecerão para você. Não há trabalho algum.

Inicialmente vou mostrar a análise estatística que fiz, para ganhar a sua confiança nos resultados apresentados.Os exemplos apresentados no artigo do jornal Valor Econômico são mostrados na figura.

Forluz renda 1

 Forluz renda 2

Como os dados dos exemplos variam na idade e na renda mensal, calculei o valor do capital migrado em número de salários. Ao produzir um gráfico e pedir a linha de tendência, tive a surpresa de verificar que, independentemente da idade e da renda, o modelo é absolutamente linear. Assim, com a equação da reta de tendência produzi o modelo que permite a criação dos cenários pessoais.

Vejam no gráfico como os valores do exemplo formam uma reta perfeita.

 Forluz renda 3

 Aplicação do modelo

Como já disse, a aplicação deste modelo para calcular sua situação particular é bastante simples. Lembre-se de preencher somente as células amarelas. Para exemplificar, vou utilizar os dados de um dos exemplos do artigo do jornal.

Primeiro, você tem que criar suas hipóteses.

 Forluz renda 4

 Antes de prosseguir, vamos comentar um pouco essas hipóteses. 

Primeiro, a expectativa de vida. Quer achar a sua? No final do artigo, você encontrará um link que lhe permite acessar o site do IBGE onde encontrará uma tabela muito fácil de ver

Forluz renda 5

Por exemplo, uma pessoa com 40 anos hoje tem uma expectativa de vida de mais 39,3 anos.

Fiquei feliz de ver meus dados. Com 73 anos, tenho mais 13,3 anos.  Lembrando que, quando nasci em 1946, a expectativa de vida dos brasileiros era 56 anos. Trinta anos a mais é um ganho considerável, não?

Rentabilidades nominal e real, qual a diferença? A rentabilidade nominal é aquela que você encontra nos jornais e folhetos com resultados das aplicações. A real é a rentabilidade anual deflacionada, que podemos gastar sem perder o capital.

Ao criar suas hipóteses, deixe o sonho de lado e trabalhe com valores de consenso. Observe o gráfico abaixo publicado no jornal Valor Econômico 5/11/2019.

Forluz renda 6

Observe que as rentabilidades reais estão em queda acentuada. Para nós que estamos acostumados com o mercado financeiro pagando no mínimo 6% ao ano (poupança) essa nova realidade causa preocupação.

Com essas hipóteses, o modelo lhe apresenta os resultados de capital migrado e rendas mensais possíveis. Observe que os valores que usei são os valores do primeiro exemplo do jornal e que os resultados se aproximam muito dos valores do artigo.

Forluz renda 7

 

Podemos ver que o capital convertido é de R$ 1.142.902,00. Com base na expectativa de vida que coloquei, a renda anual que o beneficiário pode gastar é de R$ 90.905,94 considerando a rentabilidade nominal e de R$ 58.962,77 considerando a rentabilidade real.

Temos que ter em mente que a renda mensal paga pela Forluz é tributada pelo imposto de renda (exceto casos especiais). Levando isso em conta, o valor líquido da renda mensal que pode ser gasto é de R$ 4.431,69.

O capital encontrado parece muito bom, mas a pergunta agora é: quantos anos ele vai durar?

Para responder a essa pergunta, criei outra planilha com juro nominal incidindo sobre os saldos e com a correção anual da renda mensal pela inflação. Veja a planilha abaixo.

Forluz renda 8

É claro que, com a correção anual das rendas mensais, o capital acumulado vai durar menos. 

 Observe na planilha que o capital, nesse caso, se esgota no final do ano 19. O valor residual é R$ 8.983,47.Ou seja, o aposentado do exemplo, que hoje tem 60 anos, terá renda até os 79 anos. Bem menos que os 84 anos de sua expectativa de vida.

E sua futura pensionista? As mulheres em geral vivem mais que os homens. Vou deixar as conclusões para você.

Mas, e o mercado financeiro? Você conhece bem o mercado?

Ainda não comentamos nada sobre as características de suas aplicações. O novo cenário brasileiro de juro real muito baixo está levando os investidores a procurar outras alternativas. Não pretendo discorrer aqui sobre a questão de gestão de finanças pessoais, que é um tema longo.

Muitas pessoas imaginam que, recebendo o capital da migração, a melhor opção é adquirir um imóvel e viver de seu aluguel. Discordo. Além dos aluguéis estarem muito baixos hoje, o imóvel não tem liquidez para o caso de emergência.

No entanto, existem muitas possibilidades no mercado financeiro que podem associar uma rentabilidade razoável com liquidez. É um conjunto de letrinhas para todos os gostos, CDI, DI, CRI, LCI, vários tipos de renda fixa, e por aí vai....

Apenas como exemplo, pesquisei o fundo Fundo de Investimento Imobiliário Kinea FII (ticker em bolsa KFOF11). (Não estou indicando nem sugerindo a aplicação neste fundo).Os últimos resultados são mostrados abaixo. A cotação na Bolsa de Valores, hoje, estava em R$ 123,70 por cota.

Forluz renda 9

O capital total migrado em nosso exemplo é de R$ 1.140.902,00. Numa hipótese, que eu não aconselharia, se a pessoa aplicar todo esse dinheiro no fundo do exemplo, ele poderia comprar 9.223 cotas, que lhe renderiam por mês, pelos valores acima: 9.223 x 0,54 = R$ 4.980,42. 

No entanto, o cotista continuará correndo os riscos do mercado. 

As cotas podem subir ou cair na Bolsa de Valores e os imóveis que formam o lastro do fundo podem ficar desocupados, o que vai reduzir o rendimento mensal.Conclusão, temos que pensar muito na proposta de conversão da renda vitalícia em capital, porque a decisão será individual.

Link para acessar as planilhas de Excel

Calcule sua expectativa de vida

 


Imprimir  

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar